O sucesso do plano de recuperação da Prefeitura de Curitiba atrai atenção dos estudiosos Portugueses

Plano de recuperacao de curitiba

Na imagem, o secretário de Finanças, Vitor Puppi, o assessor da secretaria, Caio Zerbato Júnior, e os pesquisadores Christian Luiz da Silva, coordenador da pesquisa e professor de mestrado e doutorado da UTFPR e os professores portugueses Sonia Paula da Silva Nogueira e Nuno Adriano Baptista Ribeiro. Foto: Divulgação Prefeitura de Curitiba



Os pesquisadores estão elaborando um estudo inédito sobre eficiência dos gastos públicos. O levantamento vai comparar a situação dos municípios da Região Metropolitana de Curitiba e da Região Metropolitana de Lisboa entre 2014 e 2017, de acordo com Christian Luiz da Silva, coordenador da pesquisa e professor de mestrado e doutorado da UTFPR. A pesquisa conta com outros dois pesquisadores, os professores portugueses Sonia Paula da Silva Nogueira e Nuno Adriano Baptista Ribeiro.

Para o secretário de Finanças, Vitor Puppi, Curitiba enfrentou, com sucesso, desafios comuns a muitas cidades. “Basta um governo perder o controle das contas, para que a cidade comece a sofrer suas consequências. Felizmente, saímos dessa trajetória.”

O estudo deve ser concluído no fim do ano. “Tivemos que estabelecer um padrão de comparação entre as gestões, já que a forma de contabilizar certas despesas é diferente no Brasil e em Portugal. Lá, o custeio de pessoal, por exemplo, é federalizado”, disse Silva.

Assim como Curitiba, municípios portugueses tiveram que fazer ajustes fiscais nos últimos anos. “A diferença é que em Portugal, que está na Zona do Euro, a mudança se deu em função de contrapartidas para investimento. Em Curitiba, as mudanças se deram de forma autônoma”, disse.

A forma como a Prefeitura superou a crise vem servindo de exemplo em vários eventos internacionais. Em março desse ano, o secretário de Finanças apresentou o case de Curitiba em Buenos Aires, em um encontro de secretários de planejamento e finanças da América do Sul, Central e do Norte promovido pelo Lincoln Institute, dos Estados Unidos. A rodada contou com a participação de representantes de nove países – Brasil, Estados Unidos, México, Peru, Panamá, Bolívia, Colômbia, El Salvador e Argentina.

No ano passado, os resultados foram apresentados na International Conference on Municipal Fiscal Health, também promovida pelo Lincoln Institute, em Detroit (EUA). O caso do Plano de Recuperação de Curitiba também foi apresentado em seminário promovido em Cambridge (EUA) e em duas das mais importantes universidades do mundo, a Universidade de Harvard e no Senseable City Lab do MIT (Massachussets Institute of Technology).

Após o plano, pelo segundo ano consecutivo, Curitiba manteve a nota A do índice de liquidez (Capag) da Secretaria do Tesouro, o que assegura o aval da União em operações de crédito.

Leia a matéria completa no site da Agência de Notícias da Prefeitura de Curitiba.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *