Projeto Fronteiras Cooperativas se inspira no modelo de Portugal-Espanha

Projeto Fronteiras Cooperativas

Professores, empresários e lideranças políticas que integram o projeto Fronteiras Cooperativas, pensado para integrar os territórios de Brasil (Sudoeste do Paraná) com a Argentina (Misiones), participaram de missão técnica entre os dias 1 e 10 de setembro de 2017 visitando Lisboa, Évora, Porto e Fátima, em Portugal; Montánchez, Cáceres, Salamanca, Zamora e Santiago de Compostela, na Espanha. Regiões que se assemelham à Trifronteira (Barracão (PR), Dionísio Cerqueira (SC) e Bernardo de Irigoyen) e à região de fronteira que abrange Capanema, Planalto e Comandante Andresito, Argentina.

O grupo de 21 pessoas contou com a participação de Edson Campagnolo, presidente da Fiep, Vitor Roberto Tioqueta, diretor superintendente do Sebrae/PR, e representantes da sociedade civil organizada dos municípios de Barracão, Santo Antonio do Sudoeste, Capanema e Bernardo de Irigoyen, Argentina.

“Nesta missão, pudemos conhecer de perto experiências de integração transfronteiriças entre Portugal e Espanha que realmente dão resultados. Acredito que temos plenas condições de seguir esse modelo e implantar projetos semelhantes para fortalecer a cooperação do Paraná com a Argentina e o Paraguai, principalmente com foco no desenvolvimento econômico das regiões fronteiriças”, analisa Campagnolo. Na visão dele, o primeiro desafio está em mobilizar e promover a integração dos municípios do Estado para, a partir daí, buscar uma colaboração efetiva com as cidades argentinas e paraguaias.

O diretor superintendente do Sebrae/PR, Vitor Roberto Tioqueta, considerou a missão foi um aprendizado a partir dos modelos de integração realizados nas regiões da Europa, bem como para o desenvolvimento das lideranças brasileiras e argentinas. “O conhecimento de experiências de sucesso na Espanha e Portugal, a similaridade cultural e territorial, a aproximação com lideranças e governos, colaboram para o fortalecimento deste grupo da fronteira e estimulam ações para a cooperação com o foco na melhoria do ambiente de desenvolvimento nos municípios, estados e países”, avalia Tioqueta.

Américo Bellé, prefeito de Capanema, destaca que as iniciativas vistas na Europa podem nortear a forma de investir e trabalhar a região da fronteira entre Brasil e Argentina. “Ações isoladas nos municípios não são a solução para buscar o crescimento. Foi importante participar da missão, que oportunizou aprendizado sobre modelos de regiões e municípios semelhantes à nossa realidade”, ratifica.

Os modelos metodológicos aplicados e as ações de integração na fronteira entre Portugal e Espanha tornaram-se inspiração para os voluntários que atuam nos grupos temáticos do projeto Fronteiras Cooperativas.

Leia a matéria completa no site da Agência FIEP.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *