Portugal pode ser o primeiro produtor europeu de lítio

Portugal tem a maior reserva de espodumena - material que se extrai o Litio

A mina do Barroso tem o dobro das reservas de lítio estimadas inicialmente e os britânicos querem licença para construir fábrica em Vila Real.

A mina é rica em espodumena, material do qual se extrai o Lítio. Depois de muito escavar, a empresa mineira britânica Savannah Resources descobriu em Portugal aquela que será a maior reserva do mineral na Europa Ocidental.

É no distrito de Boticas, conselho de Vila Real, que existem pelo menos 14 milhões de toneladas de um dos minérios de onde se extrai o lítio. A descoberta foi anunciada no dia 02 de Maio de 2018, em comunicado oficial da empresa britânica, que fechou o dia a disparar mais de 12% na bolsa.

“Acreditamos que a Mina do Barroso tem a maior reserva de espodumena da Europa ocidental”, lê-se na nota. Os 14 milhões de toneladas de minério com 1,1% de óxido de lítio, essencial para fabricar baterias de carros elétricos, por exemplo, representam mais do dobro da quantidade estimada inicialmente pela Savannah, que começou a procurar reservas de lítio em Portugal em maio do ano passado.

“A Mina do Barroso está a assumir-se como uma grande descoberta de minério europeia. Face às fortes perspectivas de crescimento da produção de baterias de íons de lítio para veículos elétricos, bem como de armazenamento de energia elétrica, esta é uma altura crítica para desenvolver um projeto com a dimensão e localização da Mina do Barroso”, sublinha David Archer, CEO da Savannah, citado no comunicado da empresa.

O aumento do preço dos compostos de lítio nos últimos anos despertou uma corrida às minas em Portugal. O governo recebeu pelo menos 40 pedidos de licenças de exploração. Nas nove regiões do país que concentram o minério, existem pelo menos 60 mil toneladas métricas, que colocam o país no top 10 mundial das reservas de lítio. O minério já é explorado em Portugal há décadas, mas o seu uso tem sido quase exclusivo na indústria cerâmica. Um cenário que pode mudar em breve.

A descoberta de Trás-os-Montes só é comparável, garantem os responsáveis da Savannah, às “muito bem-sucedidas” minas australianas, de onde são extraídos os concentrados de espudomena de lítio, “muito procurados no mercado internacional”.

A ascensão dos carros elétricos começou na China há dois anos, o que fez triplicar o preço de compostos de lítio. Na Europa, a corrida é mais recente e o Velho Continente já representa 24% do consumo mundial de lítio, que importa a 100%. É por isso que os britânicos acreditam que “a mina do Barroso está idealmente posicionada para satisfazer esta necessidade estratégica”.

A Savannah Resources chegou a Covas do Barroso em maio do ano passado. Em dezembro, a empresa anunciou os primeiros resultados “excecionais” obtidos na zona, após as primeiras prospeções. Na altura, os britânicos anunciaram a descoberta de “algumas das melhores interceções de espudomena de lítio alguma vez descobertas num depósito europeu”. A mina ocupa uma área de 1,018 km2.

Leia a matéria completa no site do Diário de Notícias.PT.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *