Paraná é o Estado que tem maior remanescente da Mata Atlântica

Serra do Mar PR

Serra do Mar do Paraná (Foto: José Fernando Ogura/ANPr)



Com quase 6 milhões de hectares preservados, o Paraná é o Estado brasileiro que apresenta maior remanescente da Mata Atlântica, considerando os estágios sucessionais inicial, médio e avançado. Para preservar um dos mais importantes biomas brasileiros, o braço forte do governo inova na gestão do meio ambiente.

Entre as ações para coibir o desmatamento, em 2019 gerou o maior número de autuação registrado em dez anos e distribuiu quase dois milhões de mudas.

Simultaneamente às ações de fiscalização e monitoramento, o governo faz plantio de sementes, por meio de programas desenvolvidos pelos institutos que integram a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

O trabalho faz parte da meta governamental de promover o crescimento econômico com sustentabilidade. Entre janeiro de 2019 a março desse ano, viveiros florestais do Estado produziram mais de 90 espécies nativas e distribuíram 1,7 milhão de mudas.

O secretário Marcio Nunes citou os programas em execução e falou sobre o objetivo da equipe de consolidar o bioma como nicho da biodiversidade na região. “Temos o Programa Paraná Mais Verde, uma importante iniciativa desse Governo no sentido de despertar a consciência ambiental no paranaense. Agora, vamos consolidar a nossa Mata Atlântica como o grande coração da reserva. Transformar em mais um importante destino turístico e campo de pesquisa”, disse. “Estamos aliando desenvolvimento ambiental, econômico e social”.

O presidente do Instituto Água e Terra, Everton de Souza, reforçou que a preservação do patrimônio natural paranaense proporciona consolidar como o ‘coração da grande reserva da mata atlântica’, objeto de pesquisa, lazer e esportes. “Tornar essa preservação um ativo para ser usado como geração de renda”, disse. “O aproveitamento de remanescentes que temos pode fomentar o surgimento de novos atrativos, em objetos de visitações para observadores de pássaros, fauna em geral e da flora, assim como para a prática de esportes da natureza. Uma série de atividades que pode orbitar nesse imenso patrimônio que temos preservado no Paraná”.

Leia a matéria completa no site da AEN – Agência de Notícias do Paraná.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *