Paraná é considerado um estado inovador

Parana um estado inovador

Feira da Inovação no calçadão da Rua XV. Foto: Leticia Akemi/Gazeta do Povo



O Índice de Inovação dos Estados, lançado em maio de 2019 pela Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), aponta que o Paraná é o segundo estado mais inovador do país. O mesmo índice informa que o estado também aparece na vice-liderança em investimentos em ciência e tecnologia, ficando atrás apenas de São Paulo.

Os empreendedores têm como principal missão encontrar soluções para problemas, independentemente do setor de atuação, seja na saúde, comércio, mobilidade. Essas inovações, seja utilizando ou não as tecnologias da informação, em um modelo de negócio com baixo custo e alta potencialidade de crescimento, são empregadas pelas startups.

O gerente-executivo de Tecnologia e Inovação da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Fabrício Lopes, afirmou que o Paraná se encontra na quinta colocação no índice de densidade de startups em relação ao número de habitantes no Brasil. No estado, algumas instituições, públicas ou privadas, que apoiam as inovações têm sido protagonistas, oportunizando a evolução, principalmente em sua densidade tecnológica.

Os resultados são resultados obtidos, por exemplo, no ranking do Movimento 100 Open Startups, em 2018, no qual dez startups de Curitiba se encontram entre as mais atraentes para o mercado. Outra notícia importante para o Paraná é o fato de que pelo menos 25 startups de Londrina já receberam investimentos. Dados esses, somados a diversos outros obtidos de fontes relacionadas às startups, demonstram essa ascensão do nosso estado.

O Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) também apresenta dados que destacam e evidenciam a tendência existente e a aposta do Paraná em incentivos fiscais cedidos pelo governo federal para a criação e a consolidação de ecossistemas de inovação. Esses incentivos são impulsionados pelos Arranjos Produtivos Locais (APLs), que, por sua vez, encontram-se atrelados ao conceito de incubadora, dispondo às startups apoio nas áreas de planejamento, gestão, marketing e finanças.

No Brasil, os números evidenciam uma ascensão do setor. Em 2012, eram 2.519 startups cadastradas na Associação Brasileira de Startups (ABStartups); em 2017, o número saltou para 5.147 – um aumento de mais de 100%. Hoje, há aproximadamente 62 mil empreendedores e 13,1 mil startups no país. De acordo com a ABStartups, esse número pode ser ainda maior, em torno de 15 mil, pois devemos levar em consideração que algumas empresas se encontram na fase de ideias e boa parte ainda não tem CNPJ.

Na região Sul, atualmente, temos 2.223 startups mapeadas no Startupbase. As três cidades melhores colocadas são Porto Alegre (582), Curitiba (375) e Florianópolis (258). Por estados, temos o Rio Grande do Sul, com 977; o Paraná, com 655; e Santa Catarina, com 613. Elas atendem mais os públicos Business to Business (B2B, 53,9%) – startups voltadas às necessidades de outras empresas, não a um consumidor final diretamente; e Business to Business to Consumer (B2B2C, 25,5%), que são as startups que fazem negócios com outras empresas visando atender à necessidade de um consumidor final.

Leia a matéria completa no site da GAZETA DO POVO.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *