Com receitas caseiras o Paraná tem empresas de doces e salgadinhos que fazem sucesso em todo o País

Empresas_PR

Paulo Pennacchi em sua Fabrica de Balas em Arapongas/PR – Foto: Gilson Abreu/AEN



Seguramente qualquer paranaense já se deparou com um pacote de Pipoteca ou uma caixinha de Tubetes ou uma bala Lovemania. Com sorte, já experimentou os três na mesma jornada. A história dessas guloseimas com sotaque “pé vermelho” marca o novo episódio da série “Feito no Paraná”, conjunto de reportagens que busca valorizar a produção regional, um dos pilares do projeto de retomada econômica do Estado.

E se tem alguém que entende de doce certamente é Paulo Hermínio Pennacchi. O mineiro de voz mansa que chegou em Arapongas, na região Norte, aos seis anos. Ao lado do pai e dos irmãos, passou por capítulos que renderiam uma novela. É quem comanda um conglomerado de fabricação de balas e distribuição de milhares de produtos, capaz de empregar em torno de 500 pessoas entre as sedes de Arapongas e Rolândia, ambas na região de Londrina.

O processo minucioso começou em 1962 pelas mãos do patriarca, Hermínio Antonio Pennacchi. Em um espaço de apenas 15 metros quadrados abriu uma tabacaria, que logo ganhou outras miudezas e algumas caixas de chicletes. Era a senha para a paixão pelos doces e pela logística de distribuição. Logo conseguiu ampliar a estrutura. Primeiro com uma DKW-Vemag Vemaguet (automóvel produzido entre 1958 e 1967) que, restaurada, até hoje brilha em uma das sedes, e depois com a primeira Kombi.

Com a dedicação dos Pennacchi, a loja virou barracão. Depois, um imenso centro de distribuição. E a Vemaguet foi trocada por uma frota de caminhões e utilitários. Em 1993 a família desandou a fazer balas, de todos os tipos e sabores. Hoje, o portfólio conta com 80 variedades, entre mastigáveis, duras e personalizadas para algumas regiões do País, e a produção alcança 8.000 balas por minuto. Arsenal que abastece um exército de 15 mil clientes País afora.

“Costumo dizer que onde você for, até em uma barranca para uma pescaria no interior do Brasil, vai encontrar uma balinha nossa. Podemos contar com todas as letras que somos os responsáveis por adoçar a vida das crianças”, diz o empresário.

Além das balinhas, outras delícias são fabricadas e enviados do Paraná para outras partes do Brasil como salgados, doces e chocolates.

Leia a matéria completa no site da AEN – Agência de Notícias do Paraná.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta