Associado STCP participa de reunião na Federação Econômica de Corrientes na Argentina

Dr Ivan Tomaselli na reuniao de trabalho na Provincia de Corrientes

Foto: Federação Econômica de Corrientes



No dia 16 de janeiro, Dr. Ivan Tomaselli, Vice-Presidente de Sustentabilidade, esteve na Argentina para reuniões de trabalho na Província de Corrientes.

Na ocasião, Dr. Ivan Tomaselli esteve reunido na Federação Econômica de Corrientes, com o Presidente Sr. Daniel Cassiet, o Vice Presidente Daniel Filigoy e membros da Câmara de Madeireiros, com o objetivo de analisar o cenário para investimentos no Cone Sul e o contexto para os negócios florestal-Industrial na região Nordeste (NEA) da Argentina.

Dr. Tomaselli enfatizou que neste cenário deve-se aprofundar um trabalho regional com interesses em comum entre Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai, mesmo que se encontrem em estágios diferentes, existem caminhos a percorrer juntos.

Afirmou também que, para o sistema florestal-industrial ser eficiente e rentável, deve contar com uma indústria de celulose e papel sustentável, econômico-financeira e ecológica com tecnologia de ponta disponível, pois 70 % da madeira não é serrada e deve ser destinado a esses empreendimentos industriais.

Foram analisadas as assimetrias industriais e os níveis de diversificação no Mercosul, onde o Brasil já conta com 5000 milhões de dólares em exportação de celulose, Chile 5000 milhões por todo conceito, Uruguai 3000 milhões de dólares, a Argentina está em um ritmo mais lento, devendo acelerar em prol desse desafio industrial.

O Modelo do estado de Mato Grosso Sul do Brasil, foi citado como um bom exemplo para visualizar como montar um cluster florestal-industrial com valor agregado e resultados econômicos e ambientais sustentáveis.

Importante destacar que no Uruguai, os produtos de celulose já representam 22 % das exportações, o que superou a carne em valor. É um sistema integrado floresta-indústria que 15 anos atrás não existia.

Corrientes com investimentos neste ramo poderia exportar 3000 milhões de dólares, além do desenvolvimento industrial diversificado das serrarias regionais.

Destacou-se que há um tempo houve uma mudança de paradigma quando a floresta-indústria se nacionalizou como produção e foi criada “A Mesa Nacional Florestal- Industrial”, onde o governo provincial sendo a primeira província florestal do país, participa em todas as reuniões e o presidente da Republica também.

Leia a matéria completa no site da STCP.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *