A ilha de Porto Santo no arquipélago da Madeira está para se tornar a primeira ilha totalmente autossustentável energeticamente



Uma cidade autossustentável em termos energéticos parece um sonho longínquo e complicado de alcançar, mas, com a ajuda da Renault o Governo Regional da Madeira está prestes a consegui-lo com uma ilha inteira. Na ilha de Porto Santo foi implementado o projeto Smart Fossil Free Island, que poderá muito bem desligar os motores diesel da central em breve e aproveitar apenas a energia que se consegue captar através do sol e do vento. Atualmente, 15 por cento da energia utilizada na ilha já é proveniente de fontes totalmente renováveis, sendo que a meta para 2020 é chegar aos 25 por cento e aos 60 por cento em 2025.

Os habitantes da ilha de Porto Santo estão prestes a conviver com uma realidade um pouco diferente. A chegada de 20 automóveis elétricos e dos pontos de carga que lhe fornecem energia já aconteceram há uns tempos, bem como a construção de painéis fotovoltaicos e de um gerador eólico que tem vindo a ser atualizado ao longo dos últimos anos e que só em 2018 foi responsável pela captação de 1,3 GW de energia. Além disso, quase todas as habitações já incluem contadores inteligentes e toda a rede de iluminação pública foi atualizada com o objetivo de ser o mais eficiente possível. Mais afastado do olhar, está uma rede de carregamento inteligente e um centro de dados que avalia e gere tudo isto.

Os 20 automóveis elétricos presentes na Ilha de Porto Santo (14 Renault Zoe e 6 Renault Kangoo Z.E.) estão a ser utilizados por entidades como a Polícia de Segurança Pública, o Governo Regional da Madeira ou a EEM (Empresa de Eletricidade da Madeira), mas também como Táxis, serviços de hotel e por diversos outros habitantes da ilha. A presença da Renault é cada vez maior na ilha e é também graças à marca francesa que existe agora uma nova forma de armazenamento de energia, que utiliza as baterias de automóveis elétricos como o Zoe, quando estas deixam de ser utilizadas nos automóveis. Além de armazenarem energia captada pelos geradores eólicos e fotovoltaicos, conseguem devolvê-la à rede com uma tensão correta, sendo bastante mais segura.

Outra das formas de o fazer é utilizando os Renault Zoe com carregamento em dois sentidos, usando a função V2G (vehicle to grid). Graças a um novo tipo de carregador, o Zoe vai conseguir captar energia da rede mas também fornecer energia quando não estiver a precisar da mesma. Para já, esta versão do Zoe ainda não se encontra em comercialização, mas já tivemos oportunidade de ver como funcionar, graças à presença de um protótipo da marca presente neste evento.

Quanto à frota de veículos elétricos na ilha, a tendência de crescimento é cada vez mais evidente. Primeiro, porque a área que cada pessoa pode ter de percorrer diariamente é perfeitamente compatível com os modelos elétricos presentes na ilha, depois porque estão a ser criados diversos incentivos para a aquisição de um automóvel elétrico na ilha de Porto Santo e finalmente porque já estão em funcionamento serviços como o novo de car-sharing, que também conta com automóveis elétricos na sua frota.

Graças à parceria entre o Governo Regional da Madeira com a Renault, é mais do que certo que a ilha de Porto Santo chegue rapidamente à meta mais desejada de isenção de emissões poluentes e de utilização de energia totalmente proveniente de fontes renováveis, sendo que toda a rede será mais segura e sobretudo mais limpa e eficiente.

Leia a matéria completa no site da AICEP Portugal Global.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *