Missão na Europa coloca brasileiros no maior cluster do mundo em Fotônica

Missão na Europa coloca brasileiros no maior cluster do mundo em Fotônica

Na foto da esquerda para direita Sr. Manuel Steidle (CERTI), Sr. Roberto Panepucci (CTI Renato Archer), Leandro Antunes Berti (CGTC/MCTIC), Sra. Sandra Pacheco Renz (MCTIC) e Sr. Fabricio Marchini (Fiocruz Paraná)



As cidades de Braga (Portugal), Bruxelas e Leuven (ambas na Bélgica) foram foram palco de encontros entre especialistas e técnicos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), da Fundação CERTI, da paranaense Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Centro de Tecnologia da Informação (CTI) Renato Archer e especialistas europeus, com o objetivo de promover uma cooperação técnica, com foco na troca de conhecimento prático, para estimular o desenvolvimento inovador e tecnológico nas áreas de Fotônica e Nanotecnologia.

A missão fez parte das atividades apoiadas pela Iniciativa de Apoio aos Diálogo Setoriais União Europeia – Brasil e foi conduzida por Leandro Antunes Berti, Coordenador Geral da CGTC/MCTIC. “É essencial esta cooperação de ecossistemas entre a União Europeia (UE) e o Brasil, com vista a gerar soluções inovadoras em produtos, processos e sistemas, bem como promover projetos tipo 2+2”, afirmou Berti.

A delegação brasileira foi a única de fora da Europa presente no evento Photonics21, que serviu de base para o lançamento de uma estratégia impulsionadora das potencialidades no âmbito da Fotônica para a próxima década na UE. A equipe colaborou com especialistas da Comunidade Europeia em discussões para planeamento de Fotônica e para o futuro industrial da Europa.

“A participação no evento Photonics21, o maior cluster do mundo em fotônica, foi uma grande oportunidade para o Brasil se inserir nesta área e se desenvolver em tecnologias ainda recentes no país. Esta integração de ecossistemas entre Brasil e Europa é uma excelente oportunidade para o desenvolvimento de projetos conjuntos – a exemplo do novo Programa Plataforma, chamado de FP9, que substituirá o atual H2020 – que, futuramente, poderão ser estendidos a países do Mercosul”, explicou Berti.

Também na Bélgica, a missão passou por Bruxelas, onde participou da reunião com a Direção-Geral das Redes de Comunicação, Conteúdos e Tecnologias (DG CONNECT), responsável pela área de Fotônica da UE, e fez ainda uma passagem por Leuven, no IMEC, um dos maiores Centros Europeus de Nanoeletrônica e Nanomedicina, com uma ampla aplicação na área da saúde. Já em Braga, Portugal, a delegação brasileira visitou o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), que já tem uma longa relação de cooperação com o Brasil – destacando-se os projetos colaborativos em Nanotecnologia, como a Nanofabricação.

Participaram ainda desta missão Roberto Panepucci, Pesquisador do CTI Renato Archer; Fabricio Marchini, Pesquisador em Saúde Pública da Fiocruz Paraná; Manuel Steidle, Diretor de Tecnologia da Fundação CERTI; Sandra Pacheco Renz, Analista em C&T do MCTIC; Marco Aurélio Krieger, Vice-Presidente de Produção e Inovação em Saúde – VPPIS/Fiocruz; e Mário Santos Moreira, Vice-Presidente de Gestão e Desenvolvimento Institucional – VPGDI/Fiocruz.

Leia a matéria completa no site da DIALOGOS.ORG.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *